Elite Vape 420

Elite Vape 420

A Elite Vape 420 trabalha com diversos modelos por várias marcas de Vaporizadores de Ervas. Visando os cuidados que se deve tomar com um Vaporizador, este Guia de Uso foi desenvolvido para iniciantes e pode ser aplicado para qualquer tipo de Vaporizador de Ervas.

É necessário ler atentamente o Manual do Usuário que sempre acompanha o Vaporizador para identificar todos os botões, acessórios e funcionalidades do mesmo.

No link de cada Vaporizador que está na Elite Vape 420 existe um vídeo de acesso ao Guia de Uso do fabricante ou outro canal relacionado.

OS PRIMEIROS 5 PASSOS:

Recarregando: Antes de vaporizar pela 1° vez, é necessário recarregar até que a bateria chegue a 100% de sua capacidade.

Preenchendo: Coloque sua erva seca triturada na Câmara de Aquecimento (sem apertar), geralmente localizada no topo do Vaporizador. Caso deseje vaporizar extratos da cannabis como cera ou óleo, é necessário que o Vape seja compatível com uma Almofada de Extratos.

Ligando e Desligando: Geralmente, um Vaporizador de Ervas é ligado com 5 cliques em seu botão principal. Para desligá-lo o processo é o mesmo.

Vaporizando: Após fechar a Câmara de Aquecimento e usar os possíveis botões secundários para selecionar a temperatura, está na hora de vaporizar. Basta puxar ar pelo Bocal quando o Vaporizador indicar a temperatura desejada.

Limpando: Sim, limpando. Por que toda vez que você termina uma sessão é ideal retirar todo o material logo que o Vaporizador resfriar-se. Isso ajudará você a manter seu Vape sempre pronto para uma nova onda, mas essa limpeza é básica, mais pra frente você será instruído completamente.

DICAS SOBRE A BATERIA:

  • Não use enquanto recarregar;
  • Não recarregue Baterias 18650 removíveis dentro do dispositivo;
  • Não deixe o Vaporizador descarregar por completo.

Seguindo cada uma das três dicas, você evitará o desgaste rápido da vida-útil de suas Baterias 18650 removíveis.

LIMPEZA

Manter seu vaporizador de ervas higienizado prolongará sua vida útil e o fará vivenciar experiências sempre com a mesma intensidade e qualidade.

Utilize apenas álcool isopropílico. É possível encontrá-lo com facilidade em supermercados e farmácias.

Com a ajuda de um cotonete, faça a higienização da câmara de aquecimento, retirando qualquer resíduo de resina ou afins. Somente utilize outras ferramentas se essas vierem juntamente com seu aparelho.

Bicos / Bocais, Telas, Filtros e Adaptadores também devem ser limpos com frequência. Sugerimos deixá-los imersos em álcool isopropílico por alguns minutos e após, escovados com escova específica (geralmente acompanha o aparelho).

É imprescindível atentar-se para que o álcool não entre em contato com as demais partes internas do vaporizador de ervas.

Aproveite que chegou até aqui e veja abaixo o conteúdo que separamos pra você aprender mais detalhes sobre vaporizadores de ervas.

 

TIPOS DE VAPORIZADORES

  • Vaporizador Portáteis: Aparelhos para vaporização com bateria recarregável, podendo ser utilizado sem uma conexão de energia. São leves e compactos, com capacidade para sessões individuais ou para um grupo pequeno de pessoas. Discretos, pode ser levado no bolso da calça ou em sua bolsa/mochila, ideal para usuários que gostam de praticidade pois atende sua demanda em qualquer lugar.
  •  
  • Vaporizador de Mesa: Estão associados ao uso compartilhado, já que o seu porte consideravelmente maior e a necessidade de estar conectado a uma fonte de energia acabam tornando as sessões menos discretas. Robustos e resistentes, sua potência é consideravelmente maior quando comparados às versões portáteis.

 

TIPOS DE VAPORIZAÇÃO:

  • Vaporizador de Ervas Secas: Disponíveis somente para vaporização de ervas, sejam elas prensadas ou flores.
  • Vaporizador de Extratos/Concentrados: Vaporizadores com acessórios para a utilização de extratos, concentrados e óleo. É possível encontrar versões com câmaras específicas para este uso e outras versões com almofadas que são acopladas a câmara de aquecimento, a adaptando para o uso destes compostos.

 

TIPOS DE AQUECIMENTO

  • Convecção: No aquecimento por convecção, a erva utilizada na câmara não passa por um processo de aquecimento direto, e sim, o ar quente produzido pelo aparelho apenas perpassa a erva triturada. Desta forma, não há uma carburação dos compostos, mantendo assim a qualidade da erva, e liberando menos compostos químicos nocivos ao consumidor. Utilizando a convecção, o que se percebe em relação ao sabor é que este se assemelha ao de ervas naturais, gerando um vapor suave. Desta forma, as sessões de vaporização se tornam mais prolongadas.

 

  • Condução: No aquecimento por condução, o produto é posicionado em uma câmara, e o aquecimento ocorre de forma direta, por contato; ou seja, as laterais da câmara são aquecidas, fazendo com que o material entre em combustão. Desta forma, o sabor obtido no vapor é mais próximo do obtido é mais próximo do método tradicional, mais intenso e forte, e geralmente agrada aos usuários que migraram de outras formas de consumo de ervas.

 

  • Híbrido: Muitos modelos possuem um sistema híbrido de aquecimento, ou seja, aquecem de forma direta e com ar quente. Desta forma, estes modelos conseguem reunir pontos positivos e negativos dos dois modos de aquecimento, por exemplo, não necessitando de uma câmara cheia para obter bons resultados.